Que tal viajar para Castrolanda?

Siga-nos:
Siga-nos pelo E-mail
YouTube
YouTube
Instagram
Facebook
Facebook
Google+
Google+

Que tal conhecer um lugar no Brasil onde os nomes das ruas aparecem em português e em holandês e as residências não são cercadas com muros? Sim, este lugar existe!! Trata-se da Colônia Castrolanda.

Localizada no município de Castro, a 160 km de Curitiba, Castrolanda é um pedacinho da Holanda no Brasil. O nome é uma junção da palavra “Castro”, nome do município onde fica Castrolanda, e “landa” que faz referência à Holanda. A colônia holandesa foi fundada em 1951 por um grupo de famílias de imigrantes neerlandeses (holandeses) que se estabeleceram no local. Os colonos abriram estradas, construíram casas e criaram a Cooperativa Castrolanda.

Colônia Castrolanda no município de Castro, Paraná.

Colônia Castrolanda no município de Castro, no estado do Paraná.

Um pouco de história dos holandeses no Brasil:

A história dos holandeses no Brasil começou no período em que o Brasil era colônia de Portugal durante o século XVII. Naquela época os holandeses invadiram o nordeste brasileiro para obter o controle do comércio do açúcar. Essa atitude desagradou os portugueses que conseguiram reaver o controle do domínio holandês.

Um novo movimento migratório de neerlandeses ocorreu durante os séculos XIX e XX. Dessa vez os neerlandeses não enfrentaram nenhuma resistência para colonizar o Brasil. Muito pelo contrário, o governo brasileiro incentivou a vinda de imigrantes europeus doando terras para os novos colonos. A devastação causada pela II Guerra Mundial foi o principal motivo que contribui para a imigração neerlandesa no território brasileiro. Os imigrantes holandeses se fixaram em várias regiões do Brasil e fundaram várias cooperativas e empresas agrícolas.

Placa de rua em dois idomas na Colônia Castrolanda.

Repare que o nome da rua está escrito em dois idomas.

Fica fácil perceber quando se está na Colônia Castrolanda. Ao passar pelo portal com o nome da colônia, a paisagem urbana anterior da cidade de Castro muda drasticamente para extensos campos de pastos e agrícolas cultivados. Após avançar mais um pouco pela estrada, chega-se a uma estrutura enorme metálica que trata-se da Castrolanda Cooperativa Agroindustrial. A partir daí, pode-se dizer que chegou ao núcleo da Colônia Castrolanda. Basta seguir por ruas asfaltadas para se deparar com casas sem muros, que quando são cercadas, deixam à mostra belíssimos jardins floridos típicos holandeses. Ao dar uma circulada percebe-se que não são muitas as edificações urbanas no local. A poucos metros encontramos igrejas, escolas, ginásio de esportes, campo de futebol, clube e um moinho de vento típico holandês enorme que domina a paisagem. Todas essas construções estão concentradas e próximas uma das outras.

Apresentação de grupo folclórico na festa tradicional holandesa na Colônia Castrolanda.

Grupo folclórico durante a “Oranjefeest”. O realejo (imagem à direita) é um instrumento musical da tradição holandesa.

Os habitantes de Castrolanda preocupam-se em manter a tradição holandesa nos seus cinco mil hectares de terra. No local, além do português, fala-se holandês. Existem escolas que ensinam o idioma e os nomes das ruas estão em português e em holandês. Há também corais e grupos folclóricos de danças tradicionais das diversas regiões dos Países Baixos que sempre se apresentam durante festividades na colônia. Um desses eventos é a “Oranjefeest” que acontece todo ano no mês de abril.

Museu Casa do Imigrante Holandês na Colônia Castrolanda.

Museu Casa do Imigrante Holandês na Colônia Castrolanda.

O Museu Casa do Imigrante Holandês é uma réplica de uma casa típica construída pelos primeiros colonos, com objetos e móveis doados pelas famílias de Castrolanda.

Museu Casa do Imigrante Holandês em Castrolanda.

Estou com a minha anfitriã no Museu Casa do Imigrante Holandês em Castrolanda.

A base da economia na região é a atividade agropecuária. A Cooperativa Castrolanda comercializa grãos e sementes e seu rebanho de gado holandês apresenta alto padrão genético. A Cooperativa Castrolanda junto com as cooperativas dos municípios de Arapoti e Carambeí, ambas localizadas no estado do Paraná, fornecem matéria-prima para industrializar os produtos Batavo.  Juntas são consideradas as maiores bacias leiteiras do Brasil.

Na agricultura produz-se principalmente milho, feijão, batata, trigo, soja e aveia. Na pecuária, além da criação de gado leiteiro,  dedicam à criação de gado de corte, suínos e ovinos.

Existe no mercado vários produtos industrializados com a marca “Castrolanda”. Os produtos à base de leite: leite longa vida, leite condensado, bebida láctea, creme de leite, são alguns dos exemplos.

Grãos e sementes produzidas na Colônia Castrolanda em exposição no interior do moinho.

Grãos e sementes produzidas na Colônia Castrolanda em exposição no interior do moinho.

Como chegar à Castrolanda:

Carro: Para quem vem de Curitiba, seguir pela rodovia BR-376 até Ponta Grossa e depois sentido Carambeí e Castro. Seguindo pela rodovia, a poucos quilômetros antes da entrada principal da cidade de Castro, dobrar à direita ao avistar uma placa de sinalização escrita “Castrolanda”. Basta seguir direto pela estrada para chegar à colônia.

Avião: O aeroporto internacional mais próximo à cidade de Castro é o Aeroporto Internacional Afonso Pena. Ele está localizado no município de São José dos Pinhais, na Grande Curitiba.

Localização de Castrolanda no mapa:

Se você pretende conhecer Castrolanda recomendo visitar as atrações durante os finais de semana, em dias de festividades na colônia ou em feriados nacionais.

De acordo com o site http://www.moinhocastrolanda.com.br o moinho pode ser visitado de sexta a domingo e feriados das 14:00h às 18:00h. Não abre às segundas-feiras, e nos outros dias, somente com agendamento com número mínimo de dez pessoas. Saiba mais sobre o moinho de Castrolanda em: Que tal conhecer o moinho de Castrolanda?

Há vários meios de hospedagem para atender os turistas na Colônia Castrolanda. Entretanto, os principais visitantes são executivos e produtores rurais. Eles vão para lá para conhecer as instalações da Cooperativa Castrolanda e para tratarem de negócios relacionados ao setor agropecuário.

Espero que tenha gostado do artigo. Deixe o seu comentário. Até a próxima. Tchau!! :)

Leia também...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga-nos