Que tal viajar à Colômbia?


Home » Notícias de turismo » Colômbia não exige mais teste PCR para entrar no país por via aérea

Colômbia não exige mais teste PCR para entrar no país por via aérea



17 de novembro de 2020 - Drica Cestari

O Ministério da Saúde da Colômbia afirmou que o teste PCR com resultado negativo não será mais necessário para entrar na Colômbia por via aérea.


A partir de agora, para viajar para a Colômbia de avião, não é mais necessário apresentar um teste PCR, que detecta o novo coronavírus - COVID-19, e nem haverá uma quarentena para os visitantes que chegam de outros países (que já havia sido abolida anteriormente). No entanto, o visitante estrangeiro terá de preencher um formulário e fazer o download do aplicativo Check-Mig, através do site de Migração da Colômbia ou das principais lojas de aplicativos.

Colômbia elimina a exigência de teste PCR negativo para entrar no país por via aérea.Colômbia elimina a exigência de teste PCR negativo para entrar no país por via aérea - Bocagrande, Cartagena das Índias, Colômbia.

Entretanto, o governo colombiano esclareceu que as companhias aéreas não poderão permitir o embarque de passageiros que apresentem febre, tosse, fraqueza ou sintomas respiratórios associados à COVID-19.

Antes do embarque, os passageiros devem apresentar às companhias aéreas o e-mail de confirmação do aplicativo Check-Mig.

Importante frisar que apesar da abolição da obrigatoriedade de testes PCR, os viajantes estrangeiros à Colômbia devem: usar obrigatoriamente as máscaras faciais, para maiores de dois anos de idade, assim como os demais elementos de proteção individual estabelecidos pelas autoridades sanitárias; manter o distanciamento social aos oficiais da imigração e entre os viajantes; entre outras medidas de segurança sanitária. Em casos excepcionais, será permitido o preenchimento do formulário Check-Mig de forma manuscrita.

Segundo as autoridades colombianas, a necessidade de um teste PCR para entrar na Colômbia foi removida por que as pessoas podem ser infectadas no período de 96 horas estabelecido entre o momento do teste e a viagem; no momento do teste, o viajante pode estar em um período de incubação de até sete dias; o teste PCR pode custar entre US$ 60 a US$ 400 (R$325 a R$2.163 na cotação de hoje), dependendo do país de origem, tornando-se uma barreira para viajantes com menos recursos financeiros; além disto, não há laboratórios em muitos países para fazer isso e as leituras são complexas.

“Lembremos que quando começou a pandemia de covid-19, o mundo tinha uma taxa de infecção maior que a da Colômbia, então foi preciso regular, fechar voos e tomar algumas medidas. Hoje existe a transmissão comunitária, ou seja, no país ela está igual às demais nações”, explicou Luís Alexandre Moscoso Osório, vice-ministro da Saúde Pública e Prestação de Serviços.

O arquipélago de San Andrés, Providencia y Santa Catalina é uma das principais atrações da Colômbia.O arquipélago de San Andrés, Providencia y Santa Catalina é uma das principais atrações da Colômbia.

Segundo as autoridades colombianas, o risco de contágio nos voos internacionais é igual ao de um morador local. “Isso cria um espaço muito grande no qual o viajante pode ser positivo e voar. Ele chega ao país com um teste de PCR e acredita que está protegido quando na verdade não está.”, acrescentou o vice-ministro.

Apesar das críticas da medida de abolir a necessidade de teste PCR para ingressar na Colômbia, o Ministério da Saúde colombiano garantiu que continuará monitorando as pessoas que chegarem ao país, por meio do registro dos sintomas que saem ao chegar ao país. “Para dar segurança aos voos, foi montada uma estratégia de seguimento dos contatos numa central de atendimento, que conta atualmente com cerca de mil pessoas, para cuidar e proteger os viajantes internacionais”, concluiu Moscoso.

A Colômbia é um dos países com maior número de casos em todo o mundo. Até ontem, 17/11, o país andino registrou mais de 1,2 milhão de casos e mais de 34 mil óbitos causados pelo COVID-19. A Colômbia está em 10º lugar em número de casos e 12º em número de mortes, considerando todos os 219 países e territórios que registraram casos da doença até o momento. Com 59.127 casos ativos, a Colômbia está em 26º lugar neste ranking.

A Colômbia também tem a 16ª maior taxa de mortes por habitantes (670 mortes por um milhão de habitantes - dados oficiais de 17/11/2020). Neste critério, o Brasil está em sétimo lugar com 779 óbitos por um milhão de habitantes.

Assim como em todo o mundo, a pandemia de COVID-19 atingiu fortemente o setor de turismo na Colômbia. O setor representa cerca de 2% do total do PIB do país, atraindo mais de quatro milhões de turistas estrangeiros anualmente e gerando mais de 550 mil empregos locais. Os turistas estrangeiros são atraídos para o país pela sua diversidade de atrações como Cartagena, a capital Bogotá e o arquipélago de San Andrés, Providencia y Santa Catalina (Santo André, Providência e Santa Catarina).

A região cafeeira também é um destino muito popular, especialmente a tradicional cidade de Salento e seus arredores do departamento de Quindío. Os visitantes podem conhecer o processo de cultivo, preparação e degustação em fazendas, fábricas, parques temáticos e museus dedicados a esta bebida neste país que é um dos maiores produtores mundiais de café de todo o mundo.

O Eixo cafeeiro é uma região da Colômbia com várias atrações relacionadas à produção e ao consumo de café.O Eixo cafeeiro é uma região da Colômbia com várias atrações relacionadas à produção e ao consumo de café.

A Colômbia possui nove locais que foram classificados como Patrimônios da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO): os Parques Nacionais Chiribiquete e Los Katios; os Parques Arqueológicos Nacional de Tierradentro e de San Agustín; o Eixo cafeeiro (Eje Cafetero); o Centro Histórico de Santa Cruz de Mompox; a ilha de Malpelo; O centro histórico de Cartagena, conhecido como a cidade fortificada; os Caminhos Incas, sistema de transporte mais extenso e avançado da América do Sul pré-colombiana.

O Ecoturismo tem se desenvolvido muito na Colômbia, devido a grande variedade de geografia, flora e fauna de seus parques nacionais. Os destinos ecoturísticos populares incluem: ao longo da costa caribenha, o Parque Natural Nacional Tayrona na cordilheira Sierra Nevada de Santa Marta e o Cabo de la Vela na ponta da Península de Guajira; o vulcão Nevado del Ruiz, o vale de Cocora e o deserto de Tatacoa na região andina central, o Parque Natural Nacional Farallones de Cali, no departamento de Valle del Cauca; o Parque Nacional Amacayacu na bacia do rio Amazonas; e as ilhas do Pacífico de Malpelo e Gorgona, além de outras paisagens únicas como o rio das sete cores em Meta.

Os meses de verão do hemisfério norte (junho, julho, agosto, setembro), a Semana Santa e o Natal são considerados a alta temporada na Colômbia, segundo o Ministério do Turismo. Durante a Semana Santa, muitos viajam para a região caribenha da Colômbia ou visitam os marcos populares como a Catedral de Las Lajas, a Catedral de Sal de Zipaquirá, Monserrate e o Morro de Guadalupe, as cidades de Santa Cruz de Mompox, Vila de Leyva, Guamal ou Popayán.

A Colômbia também tem dezenas de festivais internacionais de música ao longo do ano, como o Rock al Parque e o Estéreo Picnic. A Feira de Cali, o Carnaval de Barranquilla, o Festival de Verão de Bogotá, o Festival de Teatro Ibero-americano, o Carnaval de Negros e Brancos em Pasto, a feira de Manizales e o Festival das Flores são eventos muito procurados por turistas locais e estrangeiros.

O Brasil é o terceiro país que mais envia viajantes à Colômbia, atrás apenas da Venezuela e dos Estados Unidos. Em 2017, mais de 200 mil brasileiros visitaram a Colômbia para visitas de curta-duração.

Para visitar a República da Colômbia, os brasileiros não precisam de visto de turismo (para estadias de até 180 dias) nem de visto de negócios (para estadias de até 90 dias). A entrada de brasileiros no país também é permitida com a Cédula de Identidade Civil (RG), segundo a página do Portal Consular do Ministério das Relações Exteriores. Esta página contém uma lista com informações de todos os países que exigem ou dispensam vistos de turismo ou de negócios para cidadãos brasileiros que possuem passaporte comum.

Verifique sempre a possibilidade de ingressar neste país ou em outro destino, devido às restrições impostas pela pandemia de COVID-19.

Compartilhe esta notícia:


Site oficial:

Site oficial do Ministério da Saúde da República da Colômbia (em espanhol).
Pré-registro para entrar na Colômbia - Check-Mig (em espanhol, inglês e francês).

Pessoas de máscara nas ruas
O uso de máscara facial é uma das exigências em muitos destinos de viagem.

A pandemia de COVID-19 já registrou mais de 55 milhões de casos em todo o mundo com mais de 1,3 milhão de mortes. No Brasil já foram registrados mais de 5,8 milhões de casos e mais de 166 mil óbitos. O COVID-19 é uma doença respiratória aguda causada pelo coronavírus da síndrome respiratória aguda grave 2 (SARS-CoV-2), contagioso entre seres humanos. A doença foi identificada pela primeira vez em Wuhan, na província de Hubei, na China, em 1 de dezembro de 2019, mas o primeiro caso foi reportado em 31 de dezembro do mesmo ano. Para mais informações de como se prevenir, saber os sintomas do coronavírus, como é transmitido, diagnóstico, como se proteger e ajudar a evitar a propagação de doenças respiratórias como o COVID-19 acesse a página oficial do Ministério da Saúde destinada ao novo coronavírus COVID-19.

Tags: Colômbia | teste PCR | entrar no país | via aérea | resultado negativo | entrar na Colômbia | aplicativo | Check-Mig | máscaras faciais | distanciamento social | oficiais da imigração | segurança sanitária | formulário Check-Mig | 96 horas | teste e viagem | PCR pode custar | pandemia de covid-19 | San Andrés, Providencia y Santa Catalina | risco de contágio | voos internacionais | setor de turismo | Cartagena | capital Bogotá | região cafeeira | Salento | Quindío | Eixo cafeeiro | Patrimônios da Humanidade | UNESCO | Ecoturismo | alta temporada | visitar a Colômbia | brasileiros não precisam de visto de turismo | visto de negócios (para estadias de até 90 dias) Notícias de turismo | Notícias de viagem | Novidades no turismo | Matérias de turismo | Matérias de viagens | Viajar | Viagem | Viaje | Turismo

Saiba mais



Destinos para viajar na Baixa Temporada no Brasil - Economize nas viagens!


Que tal viajar na baixa temporada para economizar? Conheça 12 destinos para conhecer durante a baixa temporada para viajar mais barato. Em cada destino turístico existem a alta temporada (época do ano aonde existem atrações no local ou uma grande procura de turistas) e a baixa temporada (época onde os hotéis e atrações estão geralmente mais baratos devido ao menor número de visitantes). Veja no vídeo os meses do ano onde você pode visitar os destinos de seus sonhos no país economizando mais.

Compre aqui



Publicidade
Cadê meu Táxi? Veja as opções de táxi e aplicativos de transporte na sua localidade.


Busca




Cadastre-se Grátis

Para receber as informações gratuitamente do "Que Tal Viajar?" digite seu e-mail abaixo.


Após digitar seu e-mail no campo abaixo você receberá uma mensagem do Googlegroups.com (serviço de newsletters) na sua caixa de correio eletrônica pedindo a confirmação de seu e-mail.

Confirme a sua participação para receber a newsletter gratuita do site Que Tal Viajar.

Para mais informações da newsletter e cadastro clique aqui.