São Martinho reabre


Home » Notícias de turismo » Ilha do caribe de São Martinho reabre para turistas - Saint-Martin e Sint-Maarten reabertas para visitantes

Ilha do caribe de São Martinho reabre para turistas



14 de dezembro de 2020 - Drica Cestari

Que tal viajar para uma ilha caribenha e conhecer dois países ao mesmo tempo?


A peculiar ilha caribenha de São Martinho reabriu para visitantes internacionais, após vários meses fechados como medida de combate à pandemia de COVID-19.

Ilha do caribe de São Martinho reabre para turistas.O pouso próximo da praia é uma das atrações da ilha de São Martinho, que está reaberta para os visitantes internacionais.

A ilha, que é dividida em duas partes, passou a receber novamente visitantes de todas as nacionalidades, uma ótima notícias para turistas de todo o mundo, incluindo os brasileiros que desejam visitar esta encantadora ilha do Caribe. O anúncio desta reabertura foi feito pelas autoridades governamentais locais nesta semana.

Saint-Martin ("São Martinho" em francês) uma coletividade ultramarina da França e Sint Maarten ("São Martinho" em holandês) é um país pertencente ao Reino dos Países Baixos.

O que é preciso para visitar Sint Maarten (a parte holandesa de São Martinho)?

A partir de agora, para entrar em Sint Maarten, a parte holandesa da ilha, todos os viajantes (exceto crianças com menos de dez anos de idade) devem apresentar um teste RT-PCR negativo, realizado em até 120 horas antes da partida. Além disto, é necessário o preenchimento e a aprovação de um formulário de saúde on-line antes da viagem. Também é exigido a contratação de um seguro de saúde que cubra despesas relacionadas à COVID-19.

Para garantir a segurança dos moradores e evitar novos contágios, as autoridades sanitárias locais adotaram protocolos de saúde que incluem horários restritos para bares e restaurantes, distanciamento social e o uso de máscara obrigatório em estabelecimentos e locais fechados.

Sint Maarten estabeleceu um Sistema de Autorização Eletrônica de Saúde ("EHAS" na sigla em inglês) obrigatório para todos os visitantes, quer cheguem de avião, barco ou que estão em trânsito. Os viajantes devem realizá-lo assim que receberem o resultado dos testes RT-PCR ou do teste antígeno.

Mesmo que o visitante chegue através de embarcações de outras ilhas do Caribe ele deve preencher o formulário EHAS e comprovar um resultado negativo do teste RT-PCR ou antígeno para COVID-19 na chegada à ilha. St. Maarten também está aberto a iates, cruzeiros e embarcações privadas.

Praia em Philipsburg, capital de Sint Maarten, parte holandesa da ilha de São Martinho.Praia em Philipsburg, capital de Sint Maarten, parte holandesa da ilha de São Martinho.

Ao chegar à ilha, os visitantes de países de alto risco precisam de automonitoramento da temperatura corporal e de possíveis sintomas de coronavírus. Esta vigilância de automonitoramento é necessária por 14 dias para todos os viajantes originários de alto risco. Para os viajantes de países de risco moderado, o prazo é de oito dias. Para estadias de curta duração, os visitantes devem fornecer informações às autoridades durante o tempo em que estiverem em São Martinho.

Se o visitante desenvolver febre e/ou sintomas semelhantes aos da gripe durante o período de vigilância, ele será contatado pelas autoridades de saúde pública e será submetido a um novo teste RT-PCR. Se for positivo, o turista ficará isolado por 14 dias. Os custos da avaliação médica e do isolamento ficam por conta do visitante.

No Aeroporto Internacional Princesa Juliana, a força-tarefa de combate ao coronavírus criou um ambiente seguro com protocolos de segurança que incluem: estações de triagem, uso obrigatório de máscaras faciais, higienização de mãos em todo aeroporto, desinfecção regular de superfícies ao longo do dia e barreiras de separação entre funcionários e passageiros.

O que é preciso para visitar Saint-Martin (a parte francesa de São Martinho)?

O lado francês de São Martinho (Saint-Martin) também reabriu recentemente ao turismo internacional. O governo local desta região administrativa francesa assinou um acordo com o governo central para a reabertura da ilha. O documento exige que todos os turistas que cheguem de destinos não europeus façam um teste RT-PCR que detecta a COVID-19 para ingressar em Saint-Martin. Um teste adicional na chegada será solicitado se o teste RT-PCR antes do embarque for superior a 72 horas ou se um teste de antígeno foi realizado em mais de 48 horas. A diferença entre os dois testes é que o teste de antígeno possui menor tempo de resultado para detectar o novo coronavírus (SARS-CoV-2) do que o teste de RT-PCR.

Praia em Saint-Martin (a parte francesa de São Martinho).Praia em Saint-Martin (a parte francesa de São Martinho).

Atualmente, o Aeroporto Internacional de São Martinho, que fica na parte holandesa da ilha, exige que os visitantes apresentem prova de um teste de RT-PCR negativo recebido em até 120 horas (cinco dias) antes da chegada à ilha.

Apesar de ser a mesma ilha, as regras para os turistas são distintas, já que ambas as partes são administradas por países diferentes. Para visitar apenas a São Martinho holandesa pode-se fazer o teste em até cinco dias antes do voo, mas para visitar a parte francesa, sem precisar um teste adicional, é necessário fazer o teste em até três dias antes do voo.

Até ontem (13/12), Sint Maarten teve 1.232 casos de COVID-19 com 26 óbitos, ficando em 170º lugar do número de casos e 167º lugar no número de mortes entre os 220 países e regiões que registram casos do novo coronavírus em todo o mundo. Já Saint-Martin teve 801 casos e 12 mortes, 174º lugar do número de casos e 174º no número de mortes desta pandemia.

Os dois lados da ilha esperam que a reabertura seja um alívio para o setor de turismo, duramente impactado por esta pandemia, assim como em todos os países do mundo. Os principais hotéis da ilha já estavam funcionando antes desta medida. O turismo é a principal atividade econômica da Coletividade de São Martinho. A parte francesa da ilha recebe mais de um milhão de visitantes anualmente. Aproximadamente, 85% da população local está empregada somente neste setor.

Turistas aproveitam para registrar as impressionantes aterrisagens de aviões à ilha de São Martinho - Foto: Timo BreidensteinTuristas aproveitam para registrar as impressionantes aterrisagens de aviões à ilha de São Martinho - Foto: Timo Breidenstein.

Como chegar à São Martinho

Os voos para esta ilha do Caribe devem ser feitos para Sint Maarten, a parte holandesa, única com Aeroporto Internacional. Saindo do Brasil, o voo é feito com uma escala na cidade do Panamá. Os voos da Copa Airlines ligando o Panamá à St. Maarten voltaram a operar no final de novembro.

Da Flórida para a ilha de São Martinho há voos diretos ou com escalas saindo de Fort Lauderdale ou de Miami. Há também a opção de balsas saindo de Anguilla, que levam 25 minutos até o desembarque em Marigot, capital da parte francesa da ilha.

São Martinho tem dois portos comerciais e é servida pelo o aeródromo regional Espérance (na parte francesa) e o Aeroporto Internacional Princesa Juliana (na parte neerlandesa). Este aeroporto é uma atração turística em si. Considerado uma das pistas de pouso mais difíceis de todo o mundo, os aviões passam muito perto da Praia Maho, tornando a chegada dos aviões à Ilha uma das atrações mais procuradas pelos turistas.

Neste ano, foi realizada uma votação pelo site Aviacionline com mais de seis mil passageiros frequentes. Eles escolheram as mais belas aproximações de pouso de mais de 120 aeroportos de todo o mundo, divididos nas regiões: Australásia, América do Norte, África e Oriente Médio, América Latina e América Central, Ásia e Europa. O Aeroporto Internacional de São Martinho ficou em primeiro lugar na América Latina e Central.


O Aeroporto Internacional de São Martinho é um dos aeroportos selecionados neste vídeo. Confira.

O que fazer em São Martinho

Esta peculiar ilha do Caribe, dividida entre a parte francesa e holandesa, tem várias atrações para os visitantes, incluindo praias, cenários montanhosos, compras, cassinos (no lado holandês) e pousos e decolagens de aviões próximos à praia. A parte francesa da ilha (Saint-Martin) fica ao norte e tem 54 km2, já a parte holandesa (Sint Maarten) está ao sul e tem 41 km2. Philipsburg é a capital de Sint Maarten e Marigot é a principal cidade e capital Saint-Martin.

Qual o idioma de São Martinho

O idioma normalmente não é uma barreira ao visitar a ilha. O inglês também é uma língua oficial do lado holandês e é amplamente falado em ambos os lados da ilha, especialmente nas áreas turísticas. As crianças de ambos os lados da ilha são educadas em francês, holandês, inglês e espanhol.

Casas coloridas na ilha de São Martinho.Casas coloridas na ilha de São Martinho.

Quais são as diferenças entre Saint-Martin e Sint Maarten?

Embora esta ilha seja controlada por dois países diferentes, não existe uma fronteira real. Existem apenas monumentos e placas que delimitam a fronteira entre os dois países. Apesar de terem governos e sistemas jurídicos diferentes, os residentes de qualquer um dos dois países podem atravessar a fronteira sem problemas, o que facilita o turismo em toda a ilha. O acordo de partilha da ilha foi feito em 1648. Sint Maarten tem uma população de 41 mil habitantes, enquanto Saint Martin tem cerca de 35 mil habitantes.

As diferenças entre as duas partes estão nos idiomas oficiais (francês no norte e inglês e holandês no sul), moeda (oficialmente euro no norte e florim das Antilhas Neerlandesas no sul, com aceitação do dólar americano em vários estabelecimentos), tensões elétricas e frequências (220 V no lado francês e 120 V no lado holandês) e forma de governo. Atente-se também que se precisar ligar de um lado para o outro da ilha a ligação requer instruções de discagem especiais e será cobrada como internacional. Estas e outras particularidades geralmente estão disponíveis para consulta em hotéis e locais turísticos.

Mapa da ilha de São Martinho. Saint-Martin, a parte francesa, no norte e Sint Maarten, a parte holandesa, no sul da ilha. Por: HogweardMapa da ilha de São Martinho. Saint-Martin, a parte francesa, no norte e Sint Maarten, a parte holandesa, no sul da ilha.

A porção meridional foi parte das Antilhas Neerlandesas, também chamadas de Antilhas Holandesas, um território autônomo do Reino dos Países Baixos, dissolvido em 2010. Curaçao e São Martinho se tornaram países constituintes do Reino dos Países Baixos, assim como Aruba. Saba, Santo Eustáquio e Bonaire, as outras três ilhas das Antilhas Neerlandesas, tornaram-se municípios especiais do reino. Os Países Baixos também chamados também de Holanda. A Holanda é a região mais importante dos Países Baixos, dividida atualmente em duas províncias de Holanda do Norte (capital Amsterdã) e Holanda do Sul (capital Roterdã). A língua neerlandesa falada nos Países Baixos e antigas colônias também é mais conhecida como língua holandesa. A parte francesa da ilha de São Martinho foi administrada por Guadalupe até 2007, quando Saint-Martin se tornou uma coletividade ultramarina própria.

Brasileiros precisam de visto para entrar em São Martinho?

Para visitar a ilha de São Martinho, os brasileiros não precisam de visto de turismo (para estadias de até 90 dias), mas o visto de negócios é exigido, segundo o Portal Consular do Ministério das Relações Exteriores. Esta página contém uma lista com informações de todos os países que exigem ou dispensam vistos de turismo ou de negócios para cidadãos brasileiros que possuem passaporte comum.

Verifique sempre a possibilidade de ingressar em países e destinos, devido às restrições impostas pela pandemia de COVID-19.

Compartilhe esta notícia:


Sites oficiais:

Site oficial do Preenchimento do Sistema de Autorização Sanitária Eletrônica (EHAS) de Sint Maarten (em inglês).
Site oficial da Agência de Turismo de Saint-Martin (em francês).
Site oficial da Agência de Turismo de Saint-Martin (em inglês).

Tags: São Martinho | Saint-Martin | Sint Maarten | St Maarten | St Marteen | Sint Marteen | ilha de São Martinho | ilha caribenha | Caribe | parte francesa | parte holandesa | coletividade ultramarina da França | Reino dos Países Baixos. | EHAS | ambiente seguro | protocolos de segurança | estações de triagem | máscaras faciais | higienização de mãos | aeroporto | desinfecção regular de superfícies | barreiras de separação | Aeroporto Internacional de São Martinho | voo saindo de São Paulo | cidade do Panamá | voos de Miami | Anguilla | balsa | ferry | aterrisagem perto da praia | Philipsburg | Marigot | Antilhas Neerlandesas | Holanda | idioma | moeda | tensões elétricas | frequências | 220 V | 120 V | Aeroporto Internacional Princesa Juliana | Praia Maho | visto de turismo | 90 dias | visto de negócios | brasileiros | Notícias de turismo | Notícias de viagem | Novidades no turismo | Matérias de turismo | Matérias de viagens | Viajar | Viagem | Viaje | Turismo

Saiba mais



Destinos para viajar na Baixa Temporada no Brasil - Economize nas viagens!


Que tal viajar na baixa temporada para economizar? Conheça 12 destinos para conhecer durante a baixa temporada para viajar mais barato. Em cada destino turístico existem a alta temporada (época do ano aonde existem atrações no local ou uma grande procura de turistas) e a baixa temporada (época onde os hotéis e atrações estão geralmente mais baratos devido ao menor número de visitantes). Veja no vídeo os meses do ano onde você pode visitar os destinos de seus sonhos no país economizando mais.

Compre aqui



Publicidade
Cadê meu Táxi? Veja as opções de táxi e aplicativos de transporte na sua localidade.


Busca




Cadastre-se Grátis

Para receber as informações gratuitamente do "Que Tal Viajar?" digite seu e-mail abaixo.


Após digitar seu e-mail no campo abaixo você receberá uma mensagem do Googlegroups.com (serviço de newsletters) na sua caixa de correio eletrônica pedindo a confirmação de seu e-mail.

Confirme a sua participação para receber a newsletter gratuita do site Que Tal Viajar.

Para mais informações da newsletter e cadastro clique aqui.